Terça Traquina – O Pai Supremo


Para encerrar nossa homenagem aos pais, vamos falar um pouco hoje sobre o Pai que está acima de todos os pais. O criador e pai de todas as coisas que existem neste mundo.  O livro de Gênesis começa dizendo que “No princípio criou Deus os céus e a terra.” Isso significa que antes da criação nada existia, pelo menos no plano material. Então, a narrativa bíblica continua descrevendo com detalhes, dia a dia, todo o processo de criação do mundo, até que no sexto dia, o último dia da criação, Deus criou o homem e a mulher à Sua própria imagem e semelhança. Veja bem, somos os únicos seres criados à imagem e semelhança do próprio Deus.

Deus criou o homem e a mulher com tanto amor e de uma maneira tão especial porque Ele queria ter um relacionamento íntimo e especial com eles. A bíblia diz que Deus os colocou em um jardim chamado Éden e que no final da tarde vinha Deus passear com eles no jardim. E assim podemos dizer que eles eram felizes e não sabiam.

Um dia, Satanás, disfarçado na forma de uma serpente veio tentá-los e conseguiu fazer que eles pecassem contra Deus. Naquele momento eles sentiram algo que nunca haviam sentido até então. Um sentimento de culpa e uma vergonha e um medo tão grande que eles não resistiram e se esconderam de Deus entre as árvores. Deus, fez roupas de peles de animais para eles e os expulsou daquele jardim e o homem já não podia mais ver Deus face a face como antes e através do pecado deles toada a maldade entrou no mundo. À medida que a humanidade crescia, mais a ela se afastava de Deus. Chegou ao ponto em que Deus se arrependeu de ter criado o homem. Deus, então, decidiu destruir a humanidade e recomeçar através de Noé, sua esposa e seus três filhos com suas esposas, apenas oito pessoas no total, uma nova nação com a qual Ele poderia ter um relacionamento próximo novamente, e assim O fez. Quando Deus enviou o dilúvio e destruiu todo aquele povo, Ele se arrependeu do que havia feito e fez uma aliança com Noé e toda a humanidade e também com todos os animais e colocou o arco-íres no seu céu para que todas as vezes que o víssemos nos lembrássemos daquela aliança que Deus fez conosco.

A humanidade começou a repovoar a terra novamente, e voltou a pecar novamente, voltou a fazer coisas detestáveis aos olhos de Deus. Mas Deus já havia feito um trato de que não mais destruiria sua criação com dilúvio novamente, então, Deus chamou a Abrão e disse a ele que saísse do meio dos seus parentes e da casa do seu pai e fosse para uma terra que lhe seria mostrada, que seus descendentes formariam uma grande nação abençoada e através dele todos os povos do mundo seriam abençoados. Mais tarde Deus mudou o nome de Abrão para Abraão que significa pai de muitas nações. Como sempre, Deus cumpriu suas promessas mas, a humanidade não. Mesmo sendo os judeus um povo escolhido por Deus, eles alternavam entre momentos bons e ruins. Quando ele pecavam e se afastavam de Deus, eles sempre iam de mal a pior, mas ao se arrependerem dos seus pecados, Deus sempre os resgatava da mão de seus inimigos e os resgatava para Si.

Finalmente, a Palavra de diz que “Deus amou o  mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito ‘Jesus’, para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” e que a “todos quantos o receberam, deu-lhe o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas da vontade de Deus.” O apóstolo Paulo também afirma que “em amor Deus nos predestinou para Ele, para adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo.”

Através deste pequeno resumo da nossa história com Deus, podemos ver o quanto Ele nos ama. O quanto Ele que ter um relacionamento parental conosco e o quanto Ele tem feito para que possamos nos tornar realmente Seus filhos. Por isso Deus é o Pai Supremo. Nenhum pai pode amar mais a seus filhos do que Deus nos ama. Talvez seu pai terreno tenha sido uma figura ausente na sua vida, nesse caso saiba que Deus quer ter um relacionamento parental com você e somente Deus pode estar presente em todos os mementos de sua vida.

J. Maciel Vieira