Terça Traquina – Sabe o que é respeito?


Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. ”

1 Coríntios 10:23

 

Você já falou ou ouviu de alguém a expressão “respeito é bom e eu gosto”? Em algum momento da sua vida, você já se sentiu ofendido porque alguém te faltou com respeito, ou já ofendeu alguém por não respeitar suas ideias? Infelizmente, na vida cotidiana, nos deparamos com uma vasta gama de situações nas quais o respeito é artigo de luxo e está em falta.

E já que está em falta, que tal começarmos lembrando o que significa a palavra respeito? No Houaiss, a palavra respeito possui vários significados, dentre eles: tratar com estima e consideração, reverência; prezar, honrar. Sendo assim, iniciemos abordando o que há, ao mesmo tempo, de mais trivial e importante: as relações interpessoais.

Acredito que a relação com os pais ou os adultos responsáveis pela formação/educação de um ser, serve de alicerce para as demais relações que estabelecemos ao longo da vida. É nesta relação que aprendemos a pensar, nos expressar e questionar; e é também nesta relação primeira que temos a possibilidade de aprender mais sobre nós mesmo, se queremos ser iguais ou diferentes dos que nos criaram.

É justamente por isso que o adulto responsável pela educação de uma criança precisa, antes de qualquer coisa, fazê-la entender a importância do ato de repeitar; e é necessário que esse respeito se estenda aos limites impostos, os direitos alheios, as opiniões e posições diferentes das suas, em resumo, respeitar o outro na sua singularidade.

Na era das redes sociais tornou-se comum a expressão maciça das opiniões como se fossem verdades absolutas. Já perceberam como esse movimento desfez vínculos? Todos possuem o direito de expressar-se livremente (ainda bem!), mas será que o ato de ser cuidadoso entrou em declínio? Será mesmo tarefa impossível manter minha linha de pensamento sem, necessariamente, ferir quem pensa diferente?

Talvez devamos nos questionar constantemente sobre isso, e mais, sermos mediadores, com um olhar questionador e autocrítico, na educação das crianças que estão sob a nossa responsabilidade. É necessário orientá-las sobre os caminhos a serem seguidos, deixando-as cientes da responsabilidade das suas escolhas. É preciso saber, desde muito cedo que, liberdade implica em responsabilidade.

 

Carla Q. Matias