Terça Traquina – Filhos responsáveis e emocionalmente estáveis


“Qual pai, do meio de vocês, se o filho pedir um peixe, em lugar disso lhe dará uma cobra? Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai que está nos céus dará o Espírito Santo a quem o pedir!” Lucas 11:11-13

A melhor coisa que os pais podem dar aos seus filhos é uma instrução que vale para a vida toda por meio de ferramentas que podem servir para resolver seus problemas numa maneira saudável e construtiva.  Seguem umas dicas para educar seus filhos.

 

  • Tem como ensinar seus filhos a serem bondosos generosos e responsáveis? Tem sim!
  • Encoraje seus filhos a serem sensíveis aos sentimentos de outros. Elogios, mesmo que pouquinho, podem render muito quando estamos ensinando uma criança o prazer de dividir.
  • Ensine boas maneiras e respeito aos seus filhos usando simplesmente “por favor” e “obrigado”. Crianças com apenas dois anos podem aprender boas maneiras quando as mesmas são vistas de forma regular e consistente.

 

2)  Acredite se quiser! Sua atenção e carinho podem aumentar o QI do seu filho em até 20 pontos durante os primeiros 10 anos. Observe as seguintes dicas:

  • Passar tempo diariamente com seu filho. Mesmo nenês podem ampliar seu vocabulário dialogando bastante com seus pais.
  • Lembre se de que cada experiência para crianças é uma experiência de aprendizagem, mesmo que não pareça.
  • Comunicação com entusiasmo encoraja seu filho a ser comunicativo.

 

3) Seja consistente com as regras do seu lar. Ensina seus filhos que eles são apenas uma parte da família, e que suas ações podem afetar a família toda.

 

4) Ajude seus filhos a aceitarem responsabilidade por suas ações. Cada ação tem suas consequências. Eles precisam aprender a lidar com as consequências boas e não tão boas.

 

5) Cada criança é um individuo. Se suas ações não lhe agradam, então faça sugestões alternativas. É imperativo que elas entendam que são suas ações que não agradam e não a criança em si.

 

6) Evite comparar seus filhos um com outro. Cada um tem suas virtudes e áreas de fraqueza.

 

7) Ensine seu filho a entender a raiva. Quase todo mundo fica com raiva uma vez ou outra. Faz parte do ser humano, sendo adulto ou criança. Quando é que ficamos com raiva? Geralmente quando nos sentimos incapazes, rejeitados ou frustrados. Então, não é de se espantar que crianças sintam raiva, especialmente daqueles mais próximos a elas, como os pais e irmãos. Quando crianças sentem raiva elas chutam, batem ou mordem. Isto não quer dizer que são más. É simplesmente uma expressão de como elas se sentem. Elas não tem palavras para expressar como se sentem.

 

Seres humanos não foram criados com autocontrole. Temos que aprender a lidar com a raiva que sentimos. Crianças têm que ser ensinadas a controlar seus sentimentos. Elas aprendem do seu exemplo. Quando pais usam palavras para conversar sobre seus próprios sentimentos de raiva, os filhos notam que podem lidar com a raiva sem magoar alguém.

 

Escute o que seu filho tem a dizer. Elogie quando seu filho mostra autocontrole, mesmo em poucas coisas como esperar sua vez na fila ou compartilhar com alguém. Faça regras que são simples e claras. Regras que dão sentimentos de segurança a seu filho. Quando crianças ficam com raiva muitas vezes os pais também ficam com raiva e isto perturba a criança ainda mais. Ficando calmo, mas firme ajuda seu filho a manter o controle.

 

Crianças têm bastante energia. Esta energia pode explodir e fazer com que elas batam ou chutem. Ajude seu filho a se livrar desta energia com atividades físicas como  dançar, brincar no parque, modelar com massinha.

 

Aprendendo maneiras saudáveis e seguras de mostrar seus sentimentos, ajudará a uma criança por toda a sua vida.
Kathy Short
Bacharel em Educação e Aconselhamento
Pós graduação em Educação Infantil
Pós graduação em Supervisão e Administração
Mestrado em Educação
Doutorada em Administração Educacional (falta tese)
Aposentada como diretora/coordenadora da Escola Americana do Recife (setor educação infantil e fundamental)